terça-feira, 24 de setembro de 2019

🌼 Arbusto-Borboleta - Polygala myrtifolia




Com lindas flores cor-de-rosa-púrpura, a Polygala é uma espécie de planta com flor pertencente à família Polygalaceae.





Originária da África do Sul, tem como nome científico é Polygala myrtifolia, sendo conhecida popularmente como Arbusto-borboleta.




São arbustos de tamanho médio, de forma arredondada e com uma densa ramagem. As suas flores são muito vistosas quer pela sua linda cor roxa, quer pela sua interessante forma.



Gostam de sol pleno ou pleno sol ou sombra parcial, com um mínimo de 3-4 horas por dia, solo fértil bem drenado e regas moderadas. Não é uma planta muito exigente e resiste muito bem a ventos, sendo uma boa opção para jardins costeiros, aliás foi onde a encontramos .




É usada como planta ornamental em jardinagem e paisagismo devido sua floração linda e bastante longa e à facilidade com que se cultiva. Podem ser utilizadas em bordaduras, maciços, vasos ou jardineiras.




Texto explicativo: Wikipedia, outros net
Fotos: Pessoais

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Pato-mandarim (Aix galericulata)




O Pato-mandarim, também conhecido por marreco-mandarim ou apenas mandarim, é um pato de porte médio, medindo entre 41 a 49 cm de comprimento e com uma envergadura de 65 a 75 cm.

São referenciados pelos chineses como Yuan-yang, em que yuan e yang significa patos mandarim macho e fêmea. São frequentemente destacados na arte Oriental e são considerados como símbolos de carinho e fidelidade conjugal, uma vez que, após acasalarem se mantêm juntos para o resto da vida.




Nome Cientifico: Aix galericulata
Ordem: Anseriformes
Família: Anatidae
Habit Natural: Rússia, China e Japão


Apresenta diformismo sexual, enquanto que a fêmea tem plumagem em tons castanhos e brancos, o macho adulto é uma ave linda e exuberante. Possui um bico vermelho, faixas brancas crescentes acima dos olhos, uma face avermelhada. O peito é roxo com duas faixas verticais, os flancos rosados, com duas faixas laranjas que deslizam pelas costas. 





No meio selvagem, os mandarin ficam em lugares densamente arborizados próximos de lagos, pântanos e lagoas. Fazem os seus ninhos nas cavidades das árvores, próximas da água. Os machos não participam da incubação, deixando a fêmea tomar conta dos ovos sozinha. No entanto, diferentemente de outras espécies de patos, o macho não abandona a fêmea completamente, deixando-a apenas temporariamente até que os filhotes tenham nascido. Logo após o nascimento dos filhotes, a fêmea voa de volta ao chão e chama os filhotes para saltarem do ninho. Depois de todos estarem fora da árvore, seguem a mãe para a água onde normalmente se encontra o pai, que irá unir-se novamente à família e proteger os filhotes junto com a mãe.




Na natureza as principais ameaças são os predadores naturais como a coruja, a caça excessiva, a destruição do seu habitat e o tráfico internacional.




Texto explicativo: Wikipedia, www.zoo.pt
Fotos: Pessoais - Visita ao Jardim Zoológico de Lisboa


Topo