segunda-feira, 27 de abril de 2020

Cores da natureza para encantar o olhar




A natureza renasce em cada Primavera, trazendo com ela todo o encanto, cor e beleza das flores, para alegrar o nosso olhar.













"Em todas as coisas da natureza existe algo de maravilhoso." Aristóteles

Fotos: Pessoais de outras primaveras


domingo, 19 de abril de 2020

🌼 Fumária (Erva-Moleirinha) - Flores Silvestres


Fumária (Erva-Moleirinha) - Flores Silvestres


Esta planta tem como nome cientifico Fumaria officinalis, é uma espécie de planta com flor do género Fumaria e da família Papaveraceae. Tem entre outros nomes comuns: Erva-Moleirinha, erva-pombinha, fumo-da-terra, moleirinha, fel da terra, Pé-de-perdiz. 


Fumária (Erva-Moleirinha) - Flores Silvestres

Fumária (Erva-Moleirinha) - Flores Silvestres


Nativa da Europa cresce em zonas temperadas, como o Norte de África, Ásia e América,.


Fumária (Erva-Moleirinha) - Flores Silvestres


É uma uma planta herbácea anual, pode alcançar até 50 cm de altura, as flores dispostas em cachos são de tons branco rosado com a ponta purpura. O seu fruto é arredondado e liso.


Fumária (Erva-Moleirinha) - Flores Silvestres


Nasce em terrenos cultivados ou incultos, baldios, hortas, jardins, na beira dos caminhos, etc


Fumária (Erva-Moleirinha) - Flores Silvestres


Texto explicativo: Wikipedia
Fotos: Pessoais


quinta-feira, 9 de abril de 2020

O espectacular Macaco-aranha-da-colômbia




 Hoje vamos conhecer um pouco mais  sobre o:

Macaco-aranha-da-colômbia




Nome Trinomial: Ateles fusciceps rufiventris
Ordem: Primates
Família: Atelidae




Macaco-aranha ou coatá é uma denominação comum a várias espécies de primatas do gênero Ateles e família Atelidae. A designação "Cuatá" é oriunda do tupi kua'tá. "Macaco-aranha" é uma referência aos seus membros e à sua cauda preensil, que são muito longos e finos, semelhantes às patas das aranhas. O macaco-aranha-da-colômbia é uma subespécie de Ateles fusciceps e é encontrado na Colômbia e no Panamá.




São os maiores primatas da America, o adulto tem entre 42 cm e 66 cm de comprimento, com uma cauda de até 88 cm e pesando até 11 kg. Os membros são longos e esguios, assim como a cauda, que é preênsil, o que é característico do género e que lhe conferiu o nome popular de macaco-aranha.
A sua vocalização varia em 12 sons emitidos de forma e frequências diferentes para passar informações diferenciadas ao grupo.






São primatas predominantemente frugívoros com cerca de 90% da dieta constituindo de frutos, sementes e folhas. A composição da dieta é diretamente proporcional à quantidade de frutos que ocorrem no ambiente, sendo que ao haver uma escassez desse item alimentar, os macacos passam a comer brotos de folhas jovens.




Formam grandes grupos, com até 30 indivíduos, mas com uma dinâmica de fusão-fissão, com a formação de subgrupos de forrageamento. Os grupos caracterizam-se por uma alta dispersão das fêmeas, que acaba culminando na formação de coalizões entre os machos, que se reflete num baixo índice de competição entre eles e por consequência, um baixo dimorfismo sexual. Não existe uma hierarquia linear muito clara entre os machos, que se evidencia pela ausência de um macho alfa.




As fêmeas parem um filhote de cada vez, raramente gémeos, depois de uma gestação de 226 a 232 dias e o intervalo entre uma gestação e outra é de até 50 meses em animais no estado selvagem. A unidade social mais coesa no macaco-aranha é a que se mantém entre mãe e filhote até o momento em que atinge a maturidade que pode demorar até 14 meses para ser atingida.




Devido à desflorestação, à fragmentação do seu habitat, à baixa taxa de reprodução e à caça, está considerado pela IUCN (União Internacional para Conservação da Natureza) como "criticamente em perigo".




Texto explicativo: Wikipedia, www.zoo.pt
Fotos: Pessoais - Visita ao Jardim Zoológico de Lisboa

Topo