terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Jardin du Luxembourg




O Jardin du Luxembourg, é o segundo maior parque público em Paris, tendo 224.500 m². Pertence atualmente ao Senado da França, que está sediado no famoso Palácio do Luxemburgo.


Foto: wikipedia_Thesupermat


Em 1611, Maria de Médicis, viúva de Henrique IV e regente para o rei Luís XIII decidiu construir uma réplica do Palácio Pitti da sua terra natal, Florença. Comprou o Hotel du Luxembourg ( hoje o palácio Petit- Luxemburgo) e iniciou a construção do novo palácio. Encomendou a obra a Salomon de Brosse. Em 1612 plantou 2.000 ulmeiros, e dirigiu uma série de jardineiros, principalmente Tommaso Francini, para construir um parque no estilo que ela tinha conhecido quando era criança, em Florença.

Foto: wikipedia_Jean-Alexis


Francini planeou dois terraços com balaustradas e canteiros estabelecidos ao longo o eixo do castelo, alinhados em torno de uma bacia circular. Ele também construiu a Fonte de Medici , a leste do palácio com uma gruta artificial.


Foto: wikipedia_Francis Bourgouin


O jardim original tinha apenas oito hectares de tamanho. Em 1630 ela comprou mais terras e ampliou o jardim para trinta hectares. Confiou a obra de Jacques Boyceau de la Barauderie.


Foto: wikipedia_Remi Jouan


Os monarcas posteriores negligenciaram o jardim. Em 1780, o Conde de Provença, futuro Luís XVIII, vendeu a parte oriental do jardim para o desenvolvimento imobiliário. Após a Revolução Francesa, no entanto, os líderes do Diretório francês ampliaram o jardim em quarenta hectares, por confiscação de terras à ordem religiosa vizinha. O arquiteto Jean Chalgrin, (o arquiteto do Arco do Triunfo), assumiu a tarefa de restaurar o jardim. Ele refez a Fonte de Medici, preservou o famoso “pepiniere”, ou viveiro da ordem dos Cartuxos, as velhas vinhas, e manteve o jardim em estilo francês formal.

Foto: wikipedia_Kmlz


Durante e depois da Monarquia de Julho de 1848, o parque tornou-se o lar de uma grande população de estátuas, primeiro de Rainhas e mulheres famosas da França, alinhadas ao longo dos terraços, em seguida, em 1880 e 1890, com monumentos a escritores e artistas.


Foto: wikipedia_Nicki Dugan

Em 1865, durante a reconstrução de Paris por Luís Napoleão, a rue de l' Abbé de l' Epée, ( agora rue Auguste -Comte ) foi prorrogado para o parque, cortando cerca de quinze hectares, incluindo o antigo viveiro do jardim. Com a construção de novas avenidas também foi necessário deslocar e reconstruir a Fonte de Medici para a sua actual localização. Durante essa reconstrução, o diretor de parques e avenidas de Paris, Gabriel Davioud, construiu novos portões ornamentais e cercas em torno do parque, bem como casas de jardim. Também transformou o que restava do antigo viveiro Chartreux, na extremidade sul do parque, num jardim Inglês com caminhos sinuosos, e plantou um jardim de fruta no canto sudoeste. Manteve o padrão geométrico regular dos caminhos e becos.


Foto: wikipedia_Dinkum

Foto: wikipedia_Dinkum


O jardim no final do século XIX continha um teatro de marionetes, um quiosque de música, estufas, um apiário ou casa de abelha, uma Orangerie também usada para a exibição de escultura e arte moderna (usado até a década de 1930 ); um jardim de rosas,  pomar  e cerca de setenta obras de escultura.


Foto: wikipedia_Thesupermat


Um jardim pleno de encanto, um local muito apreciado por todos os parisienses.

Fontes e Fotos: Wikipedia; hdwallpappers.com; freephotooftheday.clientk.com; www.theflews.com; www.visoflora.com; Outros net.


Foto: www.visoflora.com


Não podendo conhecer ao "vivo" todos os incriveis locais do nosso planeta, podemos sempre viajar através de fotografias e de texto. A net é o meu meio de alargar os horizontes, de conhecer sitios muitas vezes longínquos, outras bem mais pertinho, mas sempre locais com uma beleza muito especial e própria que encantam o olhar e ajudam a aliviar a alma. O meu sincero OBRIGADO a todos os fotógrafos que permitem a todos nós divagar.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Topo