quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Preservar a vida Animal - Leão


A história da Vida na Terra é uma história de extinções, estas extinções naturais ocorrem, no entanto, ao longo de períodos relativamente longos, permitindo a evolução de novas formas de vida. Muitos animais evoluíram e depois extinguiram-se e o seu lugar na natureza é então ocupado por outro grupo de animais. Isto não é o que acontece na actualidade, com a ajuda do Homem!



Penso que é importante ir sempre “passando” a mensagem da importância de preservarmos a Natureza, a vida selvagem, o ambiente, “O nosso magnifico Planeta”.

A extinção é o desaparecimento irreversível de espécies e acontece quando o último animal de uma determinada espécie morre.

Hoje : Leão




Nome Científico: Panthera leo bleyenberghi
Ordem: CARNIVORA
Família: Felidae


Distribuição e Habitat :
Leões selvagens existem atualmente na África Subsaariana e na Ásia, embora esteja a tornar-se cada vez mais rara e restrita a áreas protegidas, e na floresta de Gir na Índia, onde permanece um número bastante restrito de indivíduos.




Identificação:
Possuem uma pelagem amarel, existindo um dimorfismo sexual bem visível, os leões são maiores e mais pesados (150-250 kg) do que as leoas (120-185 kg ) e apresentam uma extensa juba em torno da cabeça. Os juvenis exibem manchas negras na pelagem, que desaparecem com a idade. Os leões exibem um tufo de pêlos negros na extremidade da cauda. Vivem entre 10 a 14 anos na natureza, enquanto em cativeiro podem chegar a viver mais de vinte anos.




Hábitos:
Esses grandes felinos vivem em bandos de 5 a 40 indivíduos, sendo os únicos felinos de hábitos gregários. Num bando, há divisão de tarefas: as fêmeas são encarregadas da caça e do cuidado dos filhotes, enquanto o macho é responsável pela demarcação do território e pela defesa do grupo de animais maiores ou mais numerosos (contra eventuais ataques de hienas, búfalos, elefantes e outros leões machos). O leão é o primeiro a comer, as crias são geralmente as últimas e mesmo a própria mãe poderá não partilhar a refeição com elas se estiver com muita fome. Os leões são, geralmente, mais activos durante a noite. Durante a estação seca, são normalmente vistos ao princípio da manhã e ao entardecer, pois passam os períodos mais quentes do dia a descansar à sombra da vegetação.




Alimentação:
Alimenta-se principalmente de zebras, veados, antílopes e girafas. Em média, uma fêmea precisa de 5 kg de carne por dia e um macho de 7 kg. Mas, na natureza, a caça tem um ritmo irregular e por vezes acontece deles ficarem sem comer durante dois ou três dias. Podem também chegar a roubar presas de leopardos, chitas, cães-caçadores e hienas. Quando a caça é farta, são capazes de ingerir 20-30 kg de carne de uma só vez.




Reprodução:
O acasalamento pode ocorrer em qualquer altura do ano. O período de gestação é de 105 a 108 dias, após os quais nascem uma a seis crias, que são amamentadas até aos seis a sete meses de idade. As fêmeas atingem a maturidade sexual aos três anos de idade e os machos aos cinco ou seis anos.




Estatuto de conservação e principais ameaças:
É uma espécie vulnerável (segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza). Está muito ameaçada pela diminuição e fragmentação do seu habitat.




Fontes e Fotos: Wikipedia; Portlasaofrancisco; zoo de Lisboa; www.saudeanimal.com.br; outros




“A Terra provê o suficiente para as necessidades de todos os homens, mas não para a voracidade de todos.” (Mahatma Gandi) .

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Tamanduá


A história da Vida na Terra é uma história de extinções, estas extinções naturais ocorrem, no entanto, ao longo de períodos relativamente longos, permitindo a evolução de novas formas de vida. Muitos animais evoluíram e depois extinguiram-se e o seu lugar na natureza é então ocupado por outro grupo de animais. Isto não é o que acontece na actualidade, com a ajuda do Homem!




Penso que é importante ir sempre “passando” a mensagem da importância de preservarmos a Natureza, a vida selvagem, o ambiente, “O nosso magnifico Planeta”.

A extinção é o desaparecimento irreversível de espécies e acontece quando o último animal de uma determinada espécie morre.

Hoje: Tamanduá ou Papa-formigas


Foto: wikipedia_NationalZooAnteater


Classe: Mammalia
Ordem: Pilosa
Família: Mymecophagidae

Tamanduá é o nome comum para as quatro espécies de mamíferos da subordem Vermilingua, comumente conhecidos por comerem formigas e térmitas.


Foto: www.vibrationdata.com


As espécies existentes incluem o tamanduá Myrmecophaga tridactyla, com cerca de 1,8 m de comprimento, incluindo a cauda, o tamanduá Cyclopes didactylus sedosa, cerca de 35 cm de comprimento, o Tamanduá do Sul ou de colarinho o Tamandua tetradactyla, com cerca de 1,2 m de comprimento, e o Tamanduá do norte, o Tamandua mexicana de dimensões semelhantes.


Tipos de Tamanduá:
• Tamanduá-bandeira - Myrmecophaga tridactyla
• Tamanduaí - Cyclopes didactylus
• Tamanduá-mirim - Tamandua tetradactyla
• Tamanduá do Norte - Tamandua Mexicana


Foto: wikipedia_Ellen


Tamanduá-bandeira - giant anteater (Myrmecophaga tridactyla)
É o maior e o mais terrestre dos tamanduás. Pode ter até 217 cm de comprimento e pesar até 41 kg. É facilmente reconhecido pelo seu focinho longo e padrão característico de pelagem. É encontrado em diversos tipos de ambientes, desde savanas e florestas. O tamanduá-bandeira é listado como "Vulnerável" pela IUCN. Foi extinguido em algumas partes de sua distribuição geográfica.


Foto: www.venezuelaonboard.com


Tamanduaí - Silky anteater ou Pygmy anteater (Cyclopes didactylus)
É o menor dos tamanduás, medindo cerca de 50 centímeros no total, pesando cerca de 450 gramas, não é pois muito maior do que um esquilo. Pode ser encontrado do sul do México ao norte do Brasil e na ilha de Trinidad e Tobago. Esta espécie é difícil de ser vista. Passa os dias dormindo, enroscado no alto das árvores. Só sai do lugar durante a noite, e mesmo assim não vai muito longe. Nunca desce ao chão. Possui pelagem amarelada, macia e sedosa, que lhe rendeu o nome popular de tamanduá-seda. Cauda preênsil de cerca de 25 centímetros de comprimento, funciona como um quinto membro. As mãos têm dois dedos, quatro dedos nos pés, nas patas anteriores com duas garras longas e curvas, olhos e orelhas pequenos.


Foto: tumblr.com


Tamanduá-mirim ou Tamanduá do Sul (Tamandua tetradactyla)
Encontra-se da Venezuela ao sul do Brasil. Possui cabeça, pernas e parte anterior do dorso de coloração amarelada. O restante do corpo é negro, formando uma espécie de colete. Possui cauda longa e preensil e patas anteriores com quatro grandes garras. Tem hábitos preferencialmente noturnos, mas também costuma sair em busca de alimento durante o crepúsculo.


Foto: wikipedia_www.birdphotos.com



Tamanduá do Norte (Tamandua mexicana)
Vivem em florestas tropicais e subtropicais do sul do México, a América Central e a norte dos Andes. O tamanduá do norte é um tamanduá de médio porte, com uma cauda preênsil, olhos e orelhas pequenos, e um focinho longo. A pele é amarelo claro na maior parte do corpo, com uma faixa distinta de pele negra sobre os flancos, costas e ombros, que lembra um pouco a forma de um colete. A presença deste padrão de coloração torna possível distinguir as espécies a partir do seu parente do sul, que tem uma cor mais uniforme. Para além da sua dieta, o tamandua do norte está também adaptado para um estilo de vida nas árvores.


Foto: wikipedia_DirkvdM


Distribuição e Habitat :
Os tamanduás, habitam as florestas e savanas das Américas Central e do Sul, desde o Belize até a Argentina. Três espécies encontram-se no leste do Brasil. O tamanduá seda ou Tamanduaí(Cyclopes didactylus) é especializado num ambiente arbóreo, mas alguns deles encontram o seu alimento tanto em terra como nas árvores, geralmente encontra-se nas florestas secas perto de riachos e lagos da América do Sul e Central. O tamanduá-bandeira quase inteiramente terrestre (Myrmecophaga tridactyla) vive em savanas. Os dois tamanduás do género Tamanduá, o do sul (Tamandua tetradactyla) e o tamanduá do Norte (Tamandua mexicana), são principalmente arbóreos, habitando as densas florestas primitivas da América do Sul e Central.


Foto: www.nhptv.org


Identificação:
O tamanduá tem uma pelagem espessa que se torna mais longa na cauda. O seu focinho é afunilado e no seu interior aloja uma longa língua que pode chegar a ter 50 cm de comprimento. O peso do maior tamanduá, o tamanduá-bandeira adulto, pode atingir até quarenta quilos e o seu comprimento 1,80 metros, incluindo a cauda, que pode chegar à metade desse tamanho. Já o mais pequeno, o tamanduá seda ou Tamanduaí(Cyclopes didactylus), mede apenas 50 cm e pesa cerca de 450 gr. A capacidade de visão e de audição dos tamanduás é reduzida, mas têm um excelente olfato (cerca de 40 vezes maior que a do homem) podendo assim sentir o cheiro de uma presa ou de um predador a dezenas de metros de distâncias. Têm garras fortes e curvas nas patas dianteiras para poder desfazer os ninhos, mas que lhe dificultam o andar.



Foto: Wikipedia


Hábitos:
Normalmente são animais solitários que só se encontram e juntam na época da reprodução. Dormem enrolados com a sua cauda peluda dobrada sobre o corpo. A cauda serve tanto para conservar o calor do corpo e como para camuflagem. São bons nadadores e capazes de mover-se através de grandes rios.

Foto: Wikipedia_Mateus Hidalgo


Alimentação:
Alimentam-se normalmente de formigas, térmitas, larvas, besouros que retiram dos formigueiros com a sua longa e pegajosa língua, depois de terem escavado as resistentes paredes dos formigueiros, com as fortes e longas garras dianteiras. Um tamanduá gasta um minuto, em média, a alimentação em um ninho, visitando mais de 200 ninhos em um dia e consumir tantos como 300.000 indivíduos.


Foto: www.animalcorner.co.uk


Reprodução:
Tamanduás gigantes podem acasalar durante todo o ano. Após uma gestação de 190 dias a fêmea tem apenas um filhote por ano, que é muito pequeno e frágil com aproximadamente 1,3 kg. Ele é carregado no dorso da mãe e alimentado durante os primeiros 9 meses, período em que só se alimenta de leite. Os jovens comunicam com as suas mães com assobios agudos e usam a língua durante a amamentação.



Foto: telegraph.co.uk


Estatuto de conservação e principais ameaças:
O tamanduá está listado como vulnerável pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). As ameaças à sua sobrevivência devem-se à destruição do seu habitat e à caça.


Foto: Pixdaus_Mrowkojad_wielki


Fontes e Fotos: Wikipédia; Portlasaofrancisco; http://www.infoescola.com/; http://www.telegraph.co.uk/; www.vibrationdata.com; Pixdaus; www.animalcorner.co.uk; www.nhptv.org; www.venezuelaonboard.com; www.vibrationdata.com; enciclopedia do Reino Animal; outros net
 
 

Hemerocalis




As flores das Hemerocalis são especiais, exuberantes e vistosas. O seu nome de origem grega,  hemero = dia e kallos = beleza, caracteriza plenamente as suas flores, que sendo tão belas duram apenas um dia.


Foto: wikipedia_Hedwig+Storch


Foto: wikipedia_Paul+Paradis


São originárias da Europa, China, Sibéria, Coréia e Japão. São popularmente conhecidas como lírio-de-são-josé ou lirio-do-dia e apesar de serem conhecidas como lírios, não são lírios verdadeiros.


Foto: allthingsplants.com


Pertencem à família Hemerocallidaceae. São plantas herbáceas, perenes. As folhas são estreitas, lisas e longas. Cada haste floral da planta é composta de muitos botões.


Foto:net


As flores da maioria das espécies desabrocham pela manhã e murcham pela noite, sendo estas substituídas por uma ou mais na mesma inflorescência no dia seguinte. Algumas espécies florescem pela noite.


Foto:Wikipedia

Foto: www.perryhillnurseries.co.uk


As suas flores apresentam-se de muitos tamanhos, formas e cores, que vão desde tons próximos do branco até um tom bem escuro, quase preto, passando por todos os tons de amarelo (do pálido ao dourado mais intenso) e do mais suave rosa ao vermelho mais intenso. Existem cerca de 60.000 cultivares registrados.


Foto: allthingsplants.com


Devido a ser uma planta de fácil cultivo é muito versátil l, sendo utilizada na composição de jardins para bordaduras ou em conjuntos isolados.


Foto: wikipedia_algiras


Solo: Dá-se em quase todos os tipos de solo, embora o ideal seja um solo com bom teor de matéria orgânica, leve e bem drenado.
Regas: Regulares. É importante que as hemerocallis recebam água suficiente na primavera, quando as plantas produzem os botões florais, e no verão, durante a estação da floração.


Foto: wikipedia_vitor+rocha


Luz e Temperatura: Devem ser cultivadas sob solo pleno. Embora tolerem condições de sombra parcial, desde que haja muita luminosidade. Como regra geral, recomenda-se o plantio das hemerocallis num local onde elas recebam, no mínimo, 6 horas de sol direto por dia.


Foto: www.perryhillnurseries.co.uk

Foto: www.perryhillnurseries.co.uk


São flores lindas que dão côr e encanto a qualquer local onde se encontrem.


Foto: www.mundodeflores.com

Foto: www.mundodeflores.com


Fontes e Fotos: Wikipedia; http://www.mundodeflores.com/; http://www.loja.jardicentro.pt/; http://en.wikipedia.org/; http://www.floresnaweb.com/; http://www.plantasonya.com.br/; www.humwseeds.com; masterofhort.com; www.mundodeflores.com; gardenweb.com; www.photos-public-domain.com; wallpaperscraft.com; http://www.perryhillnurseries.co.uk; http://allthingsplants.com; outros net.

Foto:pessoal


"Se tu amas uma flor que se acha numa estrela, é doce, de noite, olhar o céu. Todas as estrelas estão floridas." (Antoine de Saint-Exupéry)
 
 

domingo, 26 de novembro de 2017

Jardim de Nan Lian- HONG KONG




No nosso passeio a Hong Kong, começamos por visitar Ten Thousand Buddhas Monastery, vimos depois Chi Lin Nunnery e logo de seguida fomos conhecer um jardim lindo mesmo em frente ao convento, o Jardim de Nan Lian.






O jardim foi um projeto conjunto do Convento Chi Lin e do governo de Hong Kong.




Tem uma área de 3,5 hectares. É projetado no estilo da dinastia Tang com colinas, água, árvores, rochas e estruturas de madeira.






Todo o espaço envolvente da Lagoa azul é um encanto. Ao redor da lagoa  ficam dois lindos pavilhões que permitem aos visitantes a oportunidade de relaxar e desfrutar da lagoa.




As estruturas de madeira incluem pavilhões, terraços, torre, pontes e o Black Lintel Gate (portão de entrada) e são construídos em estilo arquitetónico Tang.




Embora existam muitos edifico ao seu redor, é um lugar verdadeiramente bonito, colorido e cénico com uma atmosfera tranquila e calma.






Caminhos silenciosos e sinuosos, rodeados de belas árvores antigas ajudam a libertar o stress e encontrar paz e serenidade.




Xiang Hai Xuan (que significa uma casa que abraça um mar de fragrância)




Na Lagoa de Lótus podemos apreciar o impressionante Pavilhão de Perfeição Absoluta (Golden Pavilion) que está ligado por duas pontes de madeira pintadas de vermelho (Zi Wu) (não são acessíveis)






Hora de ir embora passando pelo seu belíssimo portão, Black Lintel Gate.




Fotos: Pessoais
Texto explicativo: Wikipedia: http://www.hongkongextras.com/_nan_lian_garden.html

Topo