quinta-feira, 23 de novembro de 2017

A Raposa


A história da Vida na Terra é uma história de extinções, estas extinções naturais ocorrem, no entanto, ao longo de períodos relativamente longos, permitindo a evolução de novas formas de vida. Muitos animais evoluíram e depois extinguiram-se e o seu lugar na natureza é então ocupado por outro grupo de animais. Isto não é o que acontece na actualidade, com a ajuda do Homem!




Penso que é importante ir sempre “passando” a mensagem da importância de preservarmos a Natureza, a vida selvagem, o ambiente, “O nosso magnifico Planeta”.

Hoje vamos conhecer um pouco melhor: A Raposa




Nome Científico: Vulpes vulpes
Ordem: Carnivora
Família: Canidae

Distribuição e Habitat :
São animais facilmente adaptáveis e, por isso, encontram-se numa grande diversidade de habitats existentes por todo o mundo, tais como: charnecas, florestas, montanhas, dunas e zonas agrícolas e urbanas. Eles habitam em toda a Europa, ilhas britânicas incluidas, Ásia, América do Norte e em algumas regiões do Norte de África e do Médio Oriente, bem como no território australiano.





Identificação:
As raposas são animais mamíferos onívoros pertencentes à família Canidae. São canídeos de porte médio, caracterizados por um focinho esguio, rematado por umas orelhas longas e pontiagudas, e uma cauda espessa e vistosa com cerca de 50 cm de comprimento. A pelagem é castanho-avermelhada, e as patas estão dotadas de garras não retrácteis. O corpo e a cabeça apresentam um comprimento que pode variar entre 60 a 90 cm, e um peso entre 5 a 10 kg. As fêmeas são sensivelmente menores que os machos. Possuem sentidos de visão, olfacto e audição excelentes.





De cerca de 37 espécies reconhecidas como raposas, somente 12 pertencem ao gênero Vulpes das "raposas verdadeiras", do qual a raposa vermelha é a mais comum.

Hábitos e Alimentação:
É um animal com uma actividade essencialmente crepuscular e uma dieta quase exclusivamente carnívora. Dela fazem parte pequenos mamíferos - coelhos, lebres, ouriços-cacheiros -, aves, peixes, insectos, e ocasionalmente frutos silvestres e cultivados.





Chega a ter cerca de 20 tocas onde esconde o alimento excedente, conseguindo lembrar-se de todas elas. Nas zonas rurais, por vezes assalta os galinheiros, tendo o hábito de matar em excesso, o que lhe vale uma má fama entre essas comunidades. Vive geralmente em pequenos grupos, formado por um macho adulto e várias fêmeas.




Reprodução:
As raposas constituem casais apenas na época do acasalamento, que ocorre em meados do inverno para as raposas vermelhas, a espécie mais difundida. Uma vez estabelecido, um casal ocupa um pequeno território que passa a defender de outras raposas.




Os filhotes nascem após um período aproximado de 50 dias de gestação, e seu número e tamanho variam conforme a espécie e o ambiente, podendo ser de quatro a sete crias (sendo geralmente cinco). Nos dias que sucedem ao nascimento, o macho traz o alimento para a fêmea enquanto ela cuida dos filhotes na toca; mais tarde, o casal passa a caçar para alimentar os filhotes. Em meados do verão, as jovens raposas começam a caçar sozinhas e se tornam auto-suficientes no outono. No início do inverno, os filhotes deixam o território e a família se desfaz.




Estatuto de conservação e principais ameaças:
A Caça à raposa, considerada uma tradição da Inglaterra, foi proibida em 2005 pelo Parlamento Britânico por violar os direitos dos animais propostos pela UNESCO. A espécie não está globalmente ameaçada (segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza).




Fontes: Wikipedia; Portlasaofrancisco; http://www.worldzootoday.com/; treknature; Enciclopédia a Vida Animal; http://www.zoo.pt/; http://www.desktopwallpaperhd.com/; http://www.walldesk.com.br/; http://www.hiren.info/desktop-wallpapers/; http://www.fotopedia.com/; http://www.pcdesktopwallpaper.com/; http://blogs.scientificamerican.com/, http://www.flickr.com/; http://www.pbs.org/wnet/nature/, outros



“A Terra provê o suficiente para as necessidades de todos os homens, mas não para a voracidade de todos.” (Mahatma Gandi) .
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Topo