sábado, 20 de maio de 2017

Azálea – A flor que representa a “Alegria de amar”




As Azáleas são originárias do Japão e da China e as suas flores são o símbolo chinês da feminilidade. Têm como significado a elegância, a felicidade, a “Alegria de amar”.




Elas dão vida e cor a qualquer local onde estejam, podendo ser usadas como plantas ornamentais em jardins formando cercas ou compondo maciços, alegrando corredores e entradas ou mesmo plantadas num vaso.




As plantas nativas foram levadas para a Holanda e Bélgica, onde foram melhoradas geneticamente. Como resultado, entre as variedades hoje comercializadas encontram-se flores de coloração vermelha, rosa, roxa, branca e combinações destas cores (mescladas).




Às vezes florescem onduladas ou abertas em forma de taça. São lindíssimas e alegram a alma de quem passa.




A tradução literal do grego “azálea” significa “seco”. Porque a azálea antes de florescer parece mais um arbusto com alguns ramos secos. Durante muito tempo os botões da azálea permanecem semi-fechados, como se estivessem a esconder a beleza dos olhares das pessoas. Mas depois florescem em cores vivas. Cada pé de azálea pode conter cerca de 500 flores, que duram cerca de 18 dias. Mas todas as plantas dão flor durante dois meses a dois meses e meio.




Um dos segredos do seu sucesso é que a floração ocorre justamente nos meses de Inverno e traz um pouco de colorido num período em que a maioria das plantas se encontra em repouso.

A Azálea é um arbusto de flores classificadas no género dos rododendros. Existem azáleas de folhas caducas e azáleas perenes.


Uma das diferenças principais entre as azáleas e as demais espécies de rododendros é o seu tamanho e o rescimento da flor. Os rododendros desenvolvem inflorescências, enquanto a maioria das azáleas têm flores terminais - uma para cada caule. Apesar disso, brotam tantos caules que durante as estações em que florescem formam uma sólida massa colorida.
A forma mais conhecida da sua utilização encontra-se nos jardins paisagísticos do Japão e da China.



Dicas de Cultivo:

Solo: por ser um arbusto rústico adapta-se bem a qualquer tipo de solo, porém, para produzir uma floração exuberante, o ideal é cultivá-la em solos ácidos enriquecidos com matéria orgânica. Em solos ricos em matéria orgânica nem é necessário adubações periódicas.


Regas: evitar o excesso de água nas regas, o ideal é fornecer água à planta apenas quando o solo apresentar-se seco, sem encharcar.


Luz: preferem locais levemente sombreados mas também podem ser cultivadas em plena luz solar. As azáleas não florescem dentro de casa e precisam de luz solar para crescerem bem. Para mantê-las em áreas internas, é necessário deixar as plantas fora de casa até que as flores se abram, aí podem ser levadas para dentro, mas é preciso que fiquem num local bem claro, próximo da janela.

Plantio: não é necessário plantá-las em covas exageradamente profundas pois as suas raízes são superficiais. As adubações para acelerar o crescimento são desaconselháveis pois podem produzir ramos muito longos e fracos com poucas flores. Uma boa cobertura morta após o plantio produz bom resultado no desenvolvimento das mudas novas.

Propagação: por estacas de galho

Floração: Inverno e início da Primavera

Podas: devem ser feitas assim que terminar a floração, retirando os galhos em excesso e cortando as pontas dos outros galhos, até chegar ao formato e tamanho que se pretende. Para aumentar a próxima floração, eliminar as pontas de todos os galhos que floresceram nesse ano.

Curiosidade:
A Azálea é relacionada deusa Minerva, deusa da sabedoria, da razão, das artes e da guerra.




Fontes: “Mundodeflores”, “Wikipedia”; “JardimdeFlores”,.”jardineiro.net”; “Flores guia”; “Floresnaweb”; “jardimdeflores”;"Informativoverde"; “portalmundodasflores” e Pessoais

Fotos: Pessoais

Sem comentários:

Enviar um comentário

Topo