domingo, 4 de março de 2018

Dálias


Dália a flor que representa o Reconhecimento, harmonia e gentileza.



Teve a sua origem no México, onde é muito popular. Os índios daquela região foram os primeiros a cultivar dálias, ainda no período do Império Asteca. Por volta do final do século XVIII, o director do Jardim Botânico de Madrid encantou-se com esta flor, durante uma visita ao México e trouxe-a para a Europa.




O seu nome é uma homenagem ao botânico sueco Andreas Dahl, responsável pela expansão das dálias pela região nórdica da Europa. Os holandeses e os franceses foram os maiores incentivadores do cultivo e da produção de inúmeras espécies híbridas de dálias.




São flores exóticas e delicadas, sensíveis às variações climáticas e pouco resistente ao frio. São também conhecidas como as flores das ilusões, devido à sua beleza e sensibilidade.




Dahlia, nome comum dália, é um género botânico pertencente à família Asteraceae. É uma herbácea de porte médio, perene.




Trata-se de flores que se encontram nas mais variadas cores e que fornece um grande colorido ao ambiente, dado sua vasta gama de tonalidades. São mais de 3000 variedades entre grandes, pequenas e anãs.




A primeira vez em que foram levadas para a Europa, as dálias eram bem simples, amarelas ou com tons de vermelho. Tempos depois surgiram variedades diferentes em tonalidades e formas, tubulares ou espinhosas.




As Dálias são muito utilizadas em jardins, onde é possível combinar os seus diversos tipos numa mesma ornamentação.




É uma planta que não gosta de viver entre quatro paredes e, dificilmente sobrevive após o florescimento quando é mantida em interiores, além disso, o tempo de vida das flores é consideravelmente mais curto nestas condições.




Condições de cultivo: devem ser cultivadas a pleno sol, em solos bem drenados, orgânicos e recebendo regas regulares. Tolera frio, mas não suporta ventos. Entra em repouso no período de Inverno.




Plantação: Plante os tubérculos a uma profundidade de cerca de 10 cm, com uma distância de 20 cm entre eles. A época ideal para o plantio é no início da Primavera.




Reprodução: por meio de sementes, estacas das pontas dos ramos ou divisão das raízes tuberosas; sendo que esta última permite a propagação de um exemplar com características idênticas às da planta-mãe.




Luminosidade: Em locais de clima frio, precisa de no mínimo 4 horas de sol pleno; já em clima quente, recomenda-se o cultivo à meia-sombra

Clima ideal: ameno



Regas: manter o solo sempre húmido, sem encharcar.



Floração: produz flores isoladas na primavera e no verão,  em várias cores.



Cuidados: necessita de protecção contra ventos e adubação orgânica a cada 3 meses.



É excelente para ornamentação de eventos, já que se mantém em boas condições por alguns dias.


Fontes e Fotos: “Mundodeflores”, “Wikipedia”; “JardimdeFlores”,.”jardineiro.net”; “Flores guia”; “Floresnaweb”; www.hdwallpapersnew.net; www.wallcoo.net; www.hdwallpaperdesign.com; outros net



"Ilumine sua vida com a delicadeza das flores" (autor desconhecido)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Topo