domingo, 4 de março de 2018

Orangotango-de-sumatra

A história da Vida na Terra é uma história de extinções, estas extinções naturais ocorrem, no entanto, ao longo de períodos relativamente longos, permitindo a evolução de novas formas de vida. Muitos animais evoluíram e depois extinguiram-se e o seu lugar na natureza é então ocupado por outro grupo de animais. Isto não é o que acontece na actualidade, com a ajuda do Homem!


Penso que é importante ir sempre “passando” a mensagem da importância de preservarmos a Natureza, a vida selvagem, o ambiente, “O nosso magnifico Planeta”.

Dentro deste contexto, vou mensalmente falando aqui no meu “cantinho”, sobre animais que se encontram em Vias de Extinção.

A extinção é o desaparecimento irreversível de espécies e acontece quando o último animal de uma determinada espécie morre.

Hoje: Orangotango-de-sumatra


Nome Científico: Pongo abelli Ordem: Primates
Família: Pongidae / Hominidae



Distribuição e Habitat :
Os orangotangos de Sumatra encontram-se, tal como o nome indica, na ilha de Sumatra (Indonésia), em florestas húmidas até 4000 metros de altitude, embora tenham preferência pelas zonas mais baixas.


Identificação:
A pelagem avermelhada, longa e macia, cobre todo o corpo excepto a face, as palmas das mãos e as solas dos pés. Os machos são maiores do que as fêmeas e apresentam uma curta barba branca nos maxilares. Os braços são muito longos e fortes.


Hábitos:
São diurnos e essencialmente arbóreos. Trepam com as mãos e os pés e raramente descem ao chão. Constroem ninhos nas árvores com ramos e troncos. São animais solitários, sendo as ligações mais fortes as que unem fêmeas e crias.


Alimentação:
Alimentam-se essencialmente de frutos, folhas, casca de árvore e flores, mas também de pequenos mamíferos e térmites. Ingerem mais de 200 espécies de plantas, tendo preferência pelos frutos suculentos. Utilizam instrumentos para retirar mel e térmites dos buracos.


Reprodução:
O período de gestação é de 260 dias, após os quais nasce uma cria (raramente gémeos), que é amamentada até aos três anos e meio de idade. Permanece com a progenitora até aos cinco a seis anos de idade. Os machos atingem a maturidade sexual com nove anos e meio e as fêmeas com sete anos.


Estatuto de conservação e principais ameaças:
Esta espécie está criticamente em perigo (segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza). A caça para o comércio de espécies exóticas foi um dos principais factores do seu declínio. Actualmente, a maior ameaça é a destruição do habitat.


Há que compreender a importância de cada organismo na complexa e maravilhosa teia da Vida na Terra e Nunca nos devemos esquecer que A extinção é para sempre.

Fontes: Wikipedia; www.saudeanimal.com.br/; bicharada.net/animais/; www.naturlink.pt/; Enciclopédia a Vida animal.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Topo